Advogada relata sua dificuldade em deixar o filho de 4 meses para voltar ao trabalho

Hoje o Blog Mãe de Dois Run recebeu um relato interessante e emocionante da advogada Kelly Escobar Santinho. Ela é casada, tem família em Mato Grosso do Sul, mas atualmente mora e trabalha em São Paulo. Ela é mãe de um menino de 4 meses e, em breve, deverá voltar ao serviço. Ela está sofrendo muito e decidiu compartilhar com outras mamães esta experiência. Para quem quiser conhecer a rotina da Kelly, acesse sua página no Facebook: “Eu, meu bebê e o trabalho”. Vamos conferir o seu relato:
IMG_6884[1]
Com os olhos cheios de água, só de pensar na volta ao trabalho.
“Olá. Meu nome é Kelly Escobar Santinho, sou mãe de um menino de 4 meses, advogada, casada e moro em São Paulo. Resolvi compartilhar com vocês essa página, pois acredito que assim como eu, muitas mães estão passando pela mesma situação que a minha, ou seja, está se aproximando o dia de deixarmos nossos filhos para voltamos para nossos empregos.
Eu, estou sofrendo há mais de trinta dias. Choro todos os dias só de pensar em deixá-lo, e, no meu caso, ele ficará com o pai, pois meu esposo tem a sorte de trabalhar home office, o que pra mim é mais cômodo, contudo, nada fácil. Desde o nascimento do meu filho, meus dias, tardes, noites e madrugadas são todas em função dele. Nossas famílias moram em outro Estado, então, tudo é ainda mais intenso pra mim.
Por tudo isso, está sendo muito dolorido imaginar o dia que terei que acordar cedo para dar de mamar, pois ele ainda está no peito, me arrumar e sair para trabalhar. Faltam 2 dias para isso acontecer e eu peço todos os dias para que as horas passem mais devagar, que um milagre aconteça ou que eu ganhe na mega sena, rs.
Enfim, peço para poder ficar com ele mais tempo. Sei que minha situação pode até ser confortável, afinal, meu bebê estará aos cuidados do pai, mas isso não tira a minha culpa de deixá-lo ainda tão pequeno e indefeso. A partir do dia 19 de maio, ele vai mamar mais vezes na mamadeira, quem vai dar o banho todos os dias será o pai, quem o levará ao Pediatra será o pai, quem o fará dormir todos os dias pelas manhãs e tardes será o pai, enfim, vou sair para trabalhar e possivelmente ele estará dormindo e vou voltar do trabalho e ele possivelmente estará dormindo.
Não tenho dúvidas que ele estará muito bem cuidado, mas gostaria de poder ser uma mãe ainda mais presente pelos próximos meses de vida dele. Conversei com várias mães mais experientes e todas me aconselharam a não abrir mão do meu trabalho, mas isso não quer dizer que elas não sofreram, apenas se acostumaram com  a realidade da maioria das mães desse país, afinal, ainda temos uma legislação atrasada no que diz respeito a licença maternidade.
IMG_6889[1].JPG
Em vários momentos, ao lado do filho.
Hoje, temos quatro meses de licença maternidade para adaptação de filho e mãe e esse tempo é muito pouco. Algumas empresas já concedem seis meses de licença maternidade, o que no meu ponto de vista já é um avanço, embora eu tenha a plena convicção de que um ano é o tempo suficiente para um mãe e seu filho se adaptarem. Respeito todas as opiniões de mães como eu, afinal, algumas pensam completamente diferente daquilo que eu penso e nem por isso são menos mães, na verdade, o importante é poder fazer aquilo que sonhamos e principalmente, agirmos com a cabeça e o coração.
Seremos sempre mães, independente se temos o prazer de ficar mais tempo com nossos bebês ou se voltamos a trabalhar para proporcionar condições ainda melhores pra eles, já que os gastos só aumentam conforme os dias vão passando. Enfim, espero que nossos filhos no futuro entendam nossas decisões e que principalmente a sociedade não critique a decisão da mãe, seja ela qual for. Escrevo isso de coração partido, pois no meu caso vou voltar a trabalhar e saibam vocês que por mais que eu tenha um emprego maravilhoso e que eu amo fazer, nada absolutamente é melhor do que estar com meu filho.
Espero que essa página ajude a todas nós, mães, com ou sem experiência, mas que sempre estão pensando no bem estar de seus filhos e que principalmente, possamos dividir experiências desse mundo tão particular qual fazemos parte de forma integral.
Que possamos ajudar e ser ajudadas. Que nossos medos, frustrações, dúvidas, sonhos, vontades, alegrias e realizações sejam compartilhadas, afinal  minha ideia sempre foi aprender ainda mais sobre esse mundo de entrega e amor incondicional.
Que venham os próximos dias…os próximos desafios e as vitórias.
Kelly.
Anúncios

5 comentários sobre “Advogada relata sua dificuldade em deixar o filho de 4 meses para voltar ao trabalho

  1. Esse é o meu relato. Agora faltam dois dias para eu voltar ao trabalho e confesso que estou com o coração na mão. Queria sair correndo com ele no colo sem olhar para trás e lembrar desse dia 19 de maio…mas as coisas não são assim, então, vou tentar me acalmar e voltar a trabalhar. Sei que será difícil, mas vou conseguir. Obrigada por expor a minha estória no blog e por compartilhar dessa angústia que é de muitas mães.

    Curtido por 1 pessoa

      • Lorena, concordo contigo.Precisamos ter mais tempo para poder passar com nossos filhos. Os empregadores deveriam entender esse momento tão especial e único de uma mãe. Quem sabe em um futuro próximo possamos ter esse benefício.

        Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s