#Aliança&Finanças

Logo_Mãe de Dois Run_retranca


Dia: 26/08/2016 – Sexta-feira

Tema: Boas ações para diminuir gastos

Nas semanas passadas, falamos de duas dicas com boas ações para diminuir gastos que estavam relacionadas com comida. Uma era cozinhar mais em casa, e a outra, era sobre levar comida caseira.

Agora na nossa terceira dica, saindo um pouquinho da cozinha e procurando usar um olhar mais crítico, vamos prestar atenção nos nossos gastos, isso mesmo, nas nossas contas! Para isso é simples, use uma “lupa figurativa”, ou seja, olhe detalhadamente cada conta, seja ela fixa ou variável, de qualquer categoria ou subcategoria, e veja em que está gastando a mais e como pode diminuir. Lembre-se cada centavo vale a pena, sempre tem como cortar ou “sangrar” algo no nosso orçamento.

Veja em que pode baixar ou diminuir os gastos, por exemplo, na conta de energia elétrica, nossa famosa conta de luz, será que deixo a TV, Home Theater ou Moden de Internet ligado (modo stand by) enquanto estou fora de casa? Se sim, isso é prejuízo, só o fato de desligar já gera uma redução e uma economia. Verifique outros pontos, como seus planos de TV, Internet, Saúde, Academia ou Pacotes de Banco e veja se está pagando algum adicional que seja irrelevante ou inútil para você. Fazer essa análise, dê valor ao seu trabalho suado e ao seu dinheiro, isso com toda certeza gera uma economia significativa no ano. Vamos que vamos… e mãos à obra!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

__________________________________________

Dia: 19/08/2016

Tema: Boas ações para diminuir gastos

Seguindo a mesma linha de raciocínio do post da semana passada, sobre cozinhar mais em casa, a dica de hoje, nossa segunda dica, é pegar a sobra dessa comida e fazer a famosa “marmita ou matula” como alguns falam.

Brincadeiras a parte, como a ideia é cozinhar mais em casa, se seguir essa VIBE (vibrações inteligentes que beneficiam a existência) pode conseguir levar almoço de casa, isso mesmo a comidinha caseira para o serviço. Além de ser bem mais saudável e segura sai bem mais barato. Vou pegar Campo grande, a capital do estado de Mato Grosso do Sul pra falar com convicção sobre isso, mas média não deve variar muito de cidade para cidade não, onde almoçar fora de casa, custa por volta de R$20,00 em restaurantes simples do dia a dia, podendo ficar de 30% a 50% em restaurantes mais elaborados.

Agora pense comigo, se você almoça todos os dias fora, levando em conta 5 dias apenas na semana, da algo em torno de R$ 400,00 podendo chegar facilmente em R$ 600,00, pois gasta com alguma bebida, estacionamento ou gorjeta. Agora com um pouco de estratégia e esforço pode reduzir esse custo pela metade, levando a comida caseira.

Não pense que é feio levar comida de casa, tire isso da cabeça, feio é levar ou tentar mostrar um padrão de vida que não tem ou não saber criar estratégias sustentáveis para sua vida financeira familiar. Lembre-se você pode melhorar seu orçamento familiar com estratégias simples, do dia a dia, saber onde sempre se gasta e cortar pequenas arestas ajuda e muito.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

_____________________________________

Dia: 12/08/2016

Tema: Boas ações para diminuir gastos

Uma das máximas para economizar de dinheiro não é o quanto ganha, mas como você gasta o que ganha e saber aonde pode sangrar ou contar gastos. Sendo assim, uma boa ação para diminuir gastos de uma maneira divertida e gostosa é cozinhar em casa, isso mesmo, fazer aquele almocinho ou aquela jantinha, com o esposo ou esposa. Além de economizar, se torna um bom momento entre família para conversar, se distrair e é claro matar aquela fome. Sem falar que também é fundamental para sair da velha rotina que assola muitos casamentos. Segundo uma pesquisa do Bureau of Labor Statistics, uma pessoa gasta em média 15 % da sua renda com comida. Se analisarmos mais afundo a pesquisa, conseguimos observar que quase 60% dos gastos são direcionados para comer em casa, por exemplo café da manhã, almoço, lanche e janta, e os outros 40% dos gastos são direcionados para fora de casa, ou seja, um jantar fora, aquela pizza ou sorvete, etc.

Portanto, se conseguirmos reduzir essa fatia externa de gastos foras de casa, é possível comer mais, gastando menos, e de uma maneira mais saudável e divertida, fortalecendo os laços entre a família. Uma dica que deixo é criar o dia gourmet em casa, onde o maridão ou a esposa cozinha um par ao outro, se torna atrativo e romântico, sem falar que sai bem mais barato pro bolso……

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

________________________________

Dia: 22/07/2016 

Tema: Boas ações para diminuir gastos

Muito se tem falado e escutado sobre o Do It Yourself – DIY o famoso Faça Você Mesmo, em um bom português, que consiste em você fazer coisas que geralmente você paga, como lavar o carro, cortar a grama, lavar e passar roupa entre outras, isso se torna uma grande atitude e uma boa ação para cortar gastos. Sendo assim, vamos comentar algumas boas ações que podem se tornar hábito para economizar no orçamento, lembre-se tudo que pensamos, depois agimos e repetimos, se torna um hábito, e se torna parte de você! Vamos em busca de hábitos saudáveis para nossa finança de cada dia!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

_____________________________

Dia: 15/07/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O sexto passo: Criar metas e objetivos. Esse é o nosso último passo para iniciar o planejamento financeiro. A ideia central aqui é deixar claro que você deve criar metas e objetivos reais e com o pé no chão, não tem como construir uma mansão se não começar com um pequeno tijolo, ou melhor ainda, começar com a união de vários grãos de areia!

Vamos pensar de em dois vieses aqui: Um é aquele que não tem dívidas e quer criar um planejamento, ou outro é aquele que precisa administrar as suas dívidas, ou seja, está endividado!!!

Se você não tem dívidas nenhuma, parabéns!!!! Continue a gerir bem suas finanças. Pense assim: contas a pagar todos nós temos, mas se consegue pagar todas, e ainda sobra dinheiro para as compras, lazer e gastos adicionais, você está muito bem, e agora é hora de pensar em criar um planejamento, uma carteira de pequenos investimentos, sacrifique um pouco o orçamento para sobrar dinheiro para investir, comece com pouco, comece com 1% da renda, depois vai para 5%, depois 10%, quando perceber, já deve estar conseguindo investir de 15 a 30 % da renda, o que é o indicado por vários especialistas financeiros. Em outra ocasião comentaremos mais sobre o seu perfil.

Agora se você ainda tem dívidas, precisa gerir as mesmas, resolver!!!!

Para isso, existe vários meios, pense assim: se você precisa emagrecer, você tem duas opções, uma é comer menos e a outra ir para academia, é claro que existe uma opção de risco que é a cirurgia. Com as suas finanças é do mesmo jeito, ou você gasta menos (gerir as finanças) ou ganha mais dinheiro (trabalhar mais). Trabalhar mais, não é muito indicado, você deixará aspectos importantes da vida de lado e invés de simplificar vai complicar. A sacada é gastar menos do que ganhar, não é o quanto ganha que define sua saúde financeira, mas sim como você gasta o que ganha! Um dos meios mais simples para isso é economizar no orçamento, mas vai com calma, crie metas e objetivos simples e que não exijam um esforço muito grande, comece economizando no orçamento algo entre 5% e 10%, depois vai para 20% e assim por diante. Não dê passos maiores que sua perna. Lembre-se que seu objetivo é gerir as dívidas, ou seja, eliminá-las, pois os juros de uma dívida via de regra é bem maior do que a de um investimento. Não adianta deixar o dinheiro na poupança que rende menos que 1% ao mês, e ter uma dívida, como a do cheque especial, chegando na casa dos 17% ao mês.

Resolva a suas dívidas, após isso concentre-se em destinar uma porcentagem da sua renda em investimentos, depois vai aumentando gradativamente e diversificando na mesma proporção.

 

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

__________________________________________________

Dia: 08/07/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O quinto passo: Não abandonar ou esquecer o controle/planilha financeira. Como em qualquer relacionamento, devemos ter muito esforço para nos manter unidos, firmes e fortes, ou como a velha frase diz “para o amor não esfriar”. Pense o seguinte: o amor é como uma planta que deve ser sempre regada……aí ele fica forte e bonito. No mundo financeiro, funciona quase do mesmo jeito, só que sem tanto floreio, por isso dê valor a sua planilha financeira, dê sentido a mesma, não deixe de usar por qualquer briguinha boba, ou porque o orçamento saio fora do mês, ou porque esqueceu!

Use sempre para não correr o risco de ir aos poucos se esfriando e deixando de usar. O interessante é que em todo relacionamento tem um ponto em comum, algo que ajuda manter e alavancar a relação. Faça isso com as finanças também, elabore sua planilha/controle alinhado com o seu dia a dia, com os seus objetivos e planos, por exemplo: crie metas, e acompanhe essas metas sendo traçadas passo a passo, como a compra de um carro, a reforma da casa, aquele vestido lindo de formatura, etc. O controle/planilha financeira não deve ser feita apenas por fazer, mas sim com um objetivo, uma motivação, pois é aí que se dá sentido e faz valer a pena cada esforço. Tenha em mente também objetivos em comum com o seu cônjuge, pois, se ao se sentir inclinado a esquecer ou deixar de lado o planejamento, o “maridão ou a esposa” vai cobrar de você, o que acaba te ajudando a manter o foco e alavancar seu controle financeiro em prol do sonho em comum!

 

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro 

_____________________________________________

Dia: 01/07/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O quarto passo: escolher como dividir ou elaborar seu controle/planilha. Depois de escolher qual a ferramenta ou instrumento que utilizará para fazer seu controle financeiro, você precisa criar uma maneira para alocar suas contas, não dá simplesmente para jogar tudo junto e misturado na planilha ou caderneta. Seria como misturar todos os ingredientes de um bolo, sem ordem, quantidade e esperar que saia um bolo gourmet com cereja e com um ótimo sabor. Por isso, você deve criar uma ordem, não precisa ser nada complicado, por exemplo, separe por tipos de conta, pode criar dois grupos: o fixo (parcela da casa, aluguel, condomínio, água, luz, telefone, compras, etc. E o variável, como gastos em lazer, teatro, cinema, lanchonete, barzinho, restaurante, compras esporádicas, etc. A ideia dessa divisão é para simplificar suas contas, ajudar a ter uma noção de quando já está comprometido com os gastos fixos e de quanto pode usar no variável. Com isso em mente, fica melhor tomar algumas decisões e fazer inferências no orçamento. Agora, se o objetivo do seu plano ou controle financeiro for mais arrojado, com um viés de análise, pode criar subgrupos, como alimentação, compras, vestuários, lazer, entretanto, não crie muitos subgrupos, isso dificulta a análise.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

______________________________________________

Dia: 16/06/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O terceiro passo: escolher o instrumento para anotar/controlar suas receitas e despesas. Esse, eu acredito, é o mais gostoso, simples e fácil de todos os passos discutidos até agora no nosso bate papo sobre finanças. Depois de computar todos os gastos e descobrir todas as receitas do mês. Você precisa colocar isso no papel, ou melhor, escolher o instrumento para anotar/controlar suas receitas e despesas. A não ser que você seja um supercomputador ou um Einstein que consiga visualizar seus dados financeiros a hora que deseja ou precise durante o dia, semana ou mês. Como sei que ninguém ou quase ninguém possui essa habilidade, é fundamental seguir esse passo. E acredite, fica a sua escolha! Por exemplo, hoje existem muitos softwares financeiros (não irei fazer propaganda nenhum), mas também temos a famosa planilha no Excel (existem vários modelos prontos na internet, inclusive já postamos alguns modelos por aqui). E por fim, temos a tradicional caderneta (isso mesmo o caderninho onde se anota tudo)! Todas essas ferramentas ou instrumentos possuem suas vantagens e desvantagens, não entraremos no mérito de cada uma, mas faça sua escolha dentre essas. Escolha aquela que possua mais facilidade, a que mais gosta, o interessante aqui ou o mais importante é escolher uma que dê menos trabalho para você, precisa ser algo, prático e simples, bem funcional, pois você usará diariamente e não poderá abandonar esse parceiro de agora em diante.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

___________________

Dia: 16/06/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O segundo passo: apuração ou contagem de todos as receitas. No passo anterior aprendemos a computar todo os gastos. Acredito que agora já sabe quanto está gastando nesse mês e quanto veio gastando nos 6 últimos. Com esses dados nas mãos fica mais fácil saber se sobrará ou faltará dinheiro no mês. Mas assim como em uma conta simples de subtração, como por exemplo 4-2 (quatro menos 2) é igual (=) a 2, existe um dado ou um valor que subtrai o outro, para dar um resultado. Nesse caso, já fizemos o levantamento dos gastos, agora basta subtrair do levantamento das receitas, entenda receita como pagamento pela sua atividade, por exemplo, o salário fixo do seu emprego, o recebimento de uma atividade extra, entre todas as formas que gera dinheiro para você, o aluguel, freelance, etc. Mas existe uma observação na apuração dessas receitas, pois a mesma não é real, ou seja, não é liquida, precisa descontar os impostos ou encargos trabalhistas ou fiscais, dependendo de sua área de atuação. Sendo assim, ao computar toda sua receita, leve isso em consideração, geralmente quem trabalha registrado, a própria empresa faz isso e ao receber holerite, o mesmo já aponta o valor líquido. Entretanto, para as outras pessoas, que não estão nesse regime, o interessante e procurar um bom contador. Cabe ressaltar que o limite que possui de cartão de crédito, cheque ou limite da conta do banco não é receita, não é recurso seu, por isso não deve ser computada como dinheiro do mês, na realidade os mesmos são crédito, capital de terceiros e com juros bem caros por sinal!

Saber o valor real que recebe no mês é essencial para fazermos a conta de subtração, ou seja, deduzir da receita todos os gastos! E saber se estamos no controle financeiro, se está sobrando ou faltando, se estamos no azul ou no vermelho!!!! Se estiver no vermelho, é igual o semáforo, é hora de parar e analisar as contas, o que pode cortar ou diminuir. Se estiver sobrando, é o azul, siga em frente, ops… (verde!! KKKK) mas com o pé fraco no acelerador, pois existem estratégias para melhorar esse azul, ou seja, as contas, as receitas e alavancar seu patrimônio financeiro!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

___________________________________________________

Dia: 10/06/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

O primeiro passo: apuração ou contagem de todos os gastos. Esse primeiro passo é o mais importante e interessante de todos. Pense o seguinte: para você fazer um bom bolo, você deve seguir uma receita, separar ingrediente por ingrediente e colocar em uma certa ordem. No final terá um lindo e saboroso bolo, mas caso não siga a receita, terá um desastre assado!!!

Com o planejamento ou controle financeiro é do mesmo jeito, o primeiro ingrediente ou passo é levantar os gastos que possui, faça isso, levando em conta os 6 últimos meses para ter uma noção exata de suas contas, quais se repetem, ou melhor quais são fixas ou variáveis, quanto vem gastando e com o que está gastando, comida, restaurante, lazer, compras, viagens, sapatos, roupas, mercado, etc.

Quando falei para computar tudo, é tudo mesmo viu….! Sabe aquela frase de que não existe mentirinha e nem mentirão, ou seja, tudo é mentira. Então, com os gastos é a mesma coisa, não existe gastinho ou gastão…tudo é gasto. Por isso deve computar tudo, sim aquela balinha que comprou, o pãozinho na padaria ou o cafezinho…ops já ia me esquecendo é claro, como poderia esquecer a famosa cervejinha ou todinho de cada dia…..

Lembrem-se que a somatória dos pouquinhos faz com que a conta não feche no final do mês! O pouco se torna muito! Faça um teste: jogue uma colher, isso mesmo só uma pequena colher de pó de café no chão e vai ver o que acontece……verá que parece que derrubaram um caminhão de café e com certeza que a esposa ou o marido vai brigar (brincadeirinha)….Ta vendo como o pouco pode acabar se tornando grande coisa, imagine isso com dinheiro no orçamento.

Hoje os cartões tanto de crédito quanto de débito, tem uma grande função, que é o extrato, podendo assim acompanhar os gastos passados e presentes, sendo assim, pode usar ele para fazer essa análise passada. Agora para fazer a análise do presente use o crédito só quando necessário, prefira o débito, ou melhor ainda, use o dinheiro e crie uma caderneta, ou uma planilha para traçar os gastos.

Mãos à obra pessoal. Vamos que vamos…

Todo líder deve sempre ser um liderado, e deve servir bem, e pelo exemplo, para não perder o privilégio de servir alguém!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

___________________________________________________

Dia: 03/06/2016

Tema: Iniciar um planejamento Financeiro

No último post finalizamos a pequena série de 5 passos para gastar menos do que ganha. Acredito que foi bem útil!

Agora vamos entrar num tema que há tempos vem chamando a minha atenção, pois no meu trabalho, na faculdade, na roda de amigos e em reuniões, sempre me perguntam como iniciar um planejamento financeiro pessoal, ou como criar um controle de contas pessoais. Acredito que muitos de vocês que estão lendo esse post agora, ou que começaram a seguir o blog, também já fizeram ou fazem essa mesma pergunta.

O planejamento ou controle pessoal, muitas vezes é visto como um bicho papão, algo que dá medo ou difícil de fazer, por ter números, tabelas, palavras complicadas. Mas acreditem, ele pode ser mais fácil do que imaginam!! E no decorrer do tempo se torna um grande aliado na luta do dia a dia contra as despesas, imprevistos, impostos, etc. Podendo proporcionar a vitória no final da batalha épica do dia, com o prêmio, de uma boa poupança, investimento, férias, jantar romântico, sapato novo, enfim…..Então, nessa semana e nas próximas, comentaremos de uma maneira bem prática, simples e fácil, como elaborar um planejamento ou controle financeiro. Farei isso como um guia ou dica, mas se preferirem podem encarar como passos, pois um depende do outro para dar certo no final.

Aguardem que semana que vem já teremos o nosso primeiro passo que é apurar, levantar ou saber todos os seus gastos.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

_______________________________________

Dia: 27/05/2016

Tema: Como gastar menos do que ganha

O quinto passo que é evitar o parcelamento. Não que você não deva parcelar algo, mas não tornar isso um hábito para todas as compras, o famoso “cabe no bolso”. Parcelar as compras pode ser um grande aliado se a pessoa já tiver uma boa base de planejamento financeiro. Agora se a pessoa não for uma boa financista, esse aliado, pode se tornar um grande vilão, pois pode consumir uma fatia significativa do mês presente e futuro. Isso atrapalha e muito quem quer começar a gastar menos do ganha.

Muitos pensam que o parcelamento deve caber no bolso, mas não leva em conta o prazo, os juros, e isso corrói o dinheiro. Sem falar, que quem não planeja, tem grandes chances de esquecer dessas contas. Quem que está lendo gora, sabe quantos de dinheiro tem na carteira nesse exato momento? Ou melhor, quantos tem no banco? Ou quantas compras parceladas tem? Qual o valor de cada uma? Quando que acaba cada uma?……Estão vendo….o planejamento ajuda nessa visualização.

A grande sacada nesse caso é deixar de lado o imediatismo e o consumismo e poupar para comprar a vista. Pois, além de ser um prêmio pelo esforço você ainda consegue descontos de 5% a 15%. Mas se não conseguir, tente poupar para dar uma entrada considerável e pagar apenas uma ou suas parcelas…

 

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

_______________________________________

Dia: 20/05/2016

Tema: Como gastar menos do que ganha

O quarto passo que é planejar seus gastos. Mas para isso, devemos entender o que é planejar. De uma amaneira simples é colocar tudo em um papel e estabelecer metas, planos adicionais, tudo na ideia de evitar erros e prejuízos. Mas só entender o que é planejar não adianta, devemos saber o que são gastos. Muito se ouve falar em gasto, dispêndio, despesas, etc, tudo isso, gira em torno desembolsar dinheiro em compras, obrigações, consumo, depreciação.

Diante disso, nasce a importância de planejar, uma vez que esses gastos consomem uma parcela significativa de nossa renda. Para isso, devemos saber ou criar meios de gastar menos ou planejar esses gastos. Sente com a esposa ou marido, reserve um tempo para programar o mês e prever quando devem ou podem gastar nas categorias do orçamento da casa, educação, lazer, aplicações….O ideal é começar pelos gastos essenciais, como os fixos e aqueles que não mudam, como casa, empréstimos. Depois os gastos que são variáveis, mas que sempre estão presentes no orçamento, como água, luz, compras…Por fim, analise o quanto sobrou e separe para uma pequena reserva, e também para o padrão de vida que leva, como lazer, compras, etc.. Siga isso a risca!!!!!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

__________________________________________

Dia: 13/05/2016 – Sexta-feira

Tema: Como gastar menos do que ganha

Depois de analisar suas finanças, conseguindo assim descobrir quanto você ganha e gasta, e despois criar mecanismos para equilibrar e administra isso, vamos para o nosso terceiro passo que é gastar o que ganha, ou seja, gastar o que seu salário tolera. E acredite, tentar gastar menos do que ganha já seria um grande segredo ou uma regra primária das finaças. Por isso, deve gastar aquilo que o salário permite, não fazendo comprar a vontade sem levar em consideração o seu salário do mês, por exemplo, você ganha mil reais e gasta dois mil !!! No momento da compra com euforia e coisas novas fica até interessante essa adrenalina, mas depois que a conta alta aparecer, o famoso rombo no orçamento, vem a frustração e o desespero e com toda certeza irá recorrer a crédito, empréstimo, cartão de crédito, que atualmente estão com taxas astronômicas e catastróficas para qualquer pessoa.

Portanto, tenha calma, analise suas finanças e procurar dentro disso gastar o que ganha, o que seu pagamento permite e busque fazer planejamento para as compras, criando prioridades. Não compre por impulso ou só pra buscar prazer, analise o objetivo da compra. Conseguindo esse passo, com o auxílio dos anteriores, poderemos chegar no passo seguinte que é poupar.

 ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

________________________________________________________________

Dia: 06/11/2015 – Sexta-feira

Tema: Como gastar menos do que ganha

Agora que aprendemos sobre o primeiro passo que controlar as entradas e saídas do dinheiro, saberá o quanto ganha e o quando gasta, podendo assim se organizar, economizar e também analisar suas finanças, esse é o nosso segundo passo, com isso saberá avaliar os seus gastos. Onde estão os menores e os maiores gastos? Casa? Carro? Educação? Lazer? Compras?…

Depois de verificar esses gastos, poderá saber onde atuar para cortar os gastos, ou seja, terá a possibilidade de saber onde “sangrar” o orçamento afim de reduzir custos. É notório que existe gastos quase impossíveis de reduzir como casa e seus custos correlatos, como impostos, condomínio, entretanto outras contas como, energia a água, internet e TV, são passíveis de redução com simples mudanças de hábito, sem falar no item lazer, como restaurante, bares, cinema etc.

Fazendo assim, poderá encontrar medidas simples para ajudar. Lembre-se disse que é simples mas não fácil, pois exige uma nova postura, uma mudança de hábito.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

______________________________________________

Dia: 30/10/2015 – Sexta-feira

Tema: Como gastar menos do que ganha

O primeiro passo dessa nova série de gastar menos do que ganha é: Realizar o controle de entradas e saídas de dinheiro, para isso você pode utilizar uma caderneta, uma planilha no Excel ou softwares financeiros, independente da plataforma que utilizará para controlar, o foco é fazer o controle, saber o quanto ganha e o quanto está gastando, ver de maneira estática, pontual, onde está indo o seu dinheiro. Pense no seguinte: saber na ponta do lápis quanto gastou em um dia e em que gatou…quanto tem em sua carteira agora ou no banco! Dessa maneira, fica melhor e mais fácil, com uma visão sistemática das suas finanças, evidenciando se você está gastando mais do que ganha e para onde está indo o seu dinheiro, com isso fica mais fácil saber onde é possível economizar.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro

____________________________________________________

Dia: 23/10/2015 – Sexta-feira

Tema: Como gastar menos do que ganha

Terminamos há duas semanas uma pequena série sobre problemas financeiros e dívidas , e vimos em 4 passos como melhorar isso e o cerne da questão era gastar menos do que ganha, ou seja, planejar. Após isso na semana passada falamos de um status ou posição que algumas pessoas assumem de ostentar ao invés de planejar e consumir consciente.

Sendo assim, começaremos nessa semana uma nova série com 5 passos sobre gastar menos do que ganha. Vimos nos post anteriores que se uma pessoa deseja emagrecer ela tem duas alternativas, ou ela come menos ou busca uma academia. Nas finanças é do mesmo jeito, ou ela gasta menos o que ganha, ou faz planejamento ou ainda trabalha mais para ganhar mais dinheiro. Portanto essa série irá abordar justamente isso, ajudará a colocar as contas em dias, a gastar menos do que ganha, ou planejar os gastos. Mas para isso devemos modificar, criar novos atos e mudar velhos hábitos financeiros para conseguir economizar dinheiro.

O objetivo é ajudar a tornar sua vida financeira melhor e mais fácil, mas para isso, a mudança deve começar em você mesmo……

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)

Dia: 16/10/2015 – Sexta-feira


Ostentar, culpar, planejar!

Parece até uma música não é???… Soa como conhecido??? Ostento o dinheiro, o mesmo acaba, depois culpo alguém….sendo que a raiz do problema é não planejar. Sempre temos um conhecido reclamando de dinheiro, às vezes alguns realmente não possuem e reclamam com razão. Mas outros às vezes reclamam sem a devida razão, pois possuem e não administram, ostentam ao invés de planejar. É notório que nos últimos dias está difícil de aguentar, com todas as medidas do governo, aumento de impostos, inflação, etc.

Também sei que cada um deve gastar o dinheiro como quer, como deseja, mas é claro que podemos alinhar os nossos gostos e costumes com um consumo equilibrado.

Se não, é claro que sempre vai ficar reclamando, ao invés de curtir consciente os seus ganhos. Mas mesmo para quem não gosta de planejar, deve pensar o seguinte: se uma pessoa deseja emagrecer ela tem duas alternativas, ou ela come menos ou busca uma academia.

Nas finanças é do mesmo jeito, ou ela gasta menos o que ganha, ou faz planejamento. Quem ganha mil reais, deve gastar menos ou igual a isso. Agora pense o seguinte: quem ganha mil reais e gasta dois mil, depois vem com ladainhas de apenas reclamar do governo, é claro que é tudo uma conjuntura, mas cada um faz sua parte, esse é o começo.

A sacada é equilíbrio, de ganho e gasto, fazendo isso está ótimo, vai conseguir curtir tranquilamente e conscientemente. Agora fazendo uma analogia e não querendo apenas comer menos, mas fazer uma academia para não apenas emagrecer, mas encorpar…..faça um planejamento e um orçamento financeiro

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 09/10/2015 – Sexta-feira


Tema: Problemas financeiros e dívidas

Para finalizarmos a nossa pequena série de quatro pontos sobre problemas financeiros e dívidas, hoje abordaremos o último passo. Este quarto passo explana acerca da satisfação, ou seja, estar satisfeito. Acredito que já deva ter escutado muito isso de sua família, mãe, avó, amigo ou de alguém maduro experiente na vida: tendo o que comer e o que vestir está ótimo. Esse conselho não é novo é muito antigo, está na bíblia, no livro de 1 Timóteo capítulo 6 versículo 8 “Tendo sustento e com que nos cobrir, estaremos contentes com estas coisas.” Mas o que isso quer dizer? Isso reflete que devemos estar felizes ou satisfeitos com o que temos, e não ansiosos com o que queremos.

Nossa posição na vida, na grande maioria dos casos, já é bem melhor e superior a de muitas pessoas, e as vezes o que queremos não é nem uma necessidade, mas sim algo supérfluo. Lembre-se o dinheiro não pode comprar felicidade, saúde, ou satisfação, por exemplo, o dinheiro pode comprar um plano de saúde, mas não a sua saúde ou vida.

Pense o seguinte, as maiores riquezas de nossa vida, são de graça, o abraço, beijo, família, amigos, ar….algumas das pessoas mais felizes do mundo não possuem muito dinheiro, mas sim o amor da família e de amigos….Pense assim também….

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 02/10/2015 – Sexta-feira


 Tema: Problemas financeiros e dívidas

Continuando nosso bate papo das semanas anteriores e também da nossa série sobre problemas financeiros e dívidas.

Hoje vamos abordar um passo simples, porém muito importante, esse é o nosso terceiro passo: Mantenha o dinheiro no seu devido lugar.

O que devemos entender desse passo é que a prioridade na nossa vida só se torna prioridade se dedicarmos tempo e atenção, por isso devemos tomar cuidado onde posicionamos o dinheiro em sua vida, se não o mesmo estará ocupando o lugar de coisas mais importantes.

Lembre-se que o dinheiro deve ser nosso servo e não o contrário, o dinheiro nunca pode ser nosso senhor, onde seríamos escravo dele, muito pelo contrário, devemos ser superiores e usar o mesmo a nosso favor.

A inveja e a ganância podem levar não só à ruína financeira, mas também à negligência de assuntos que custam o bem estar de sua vida, tais como: Deus, família e amigos. Devemos sempre buscar o equilíbrio. “O ganancioso tem tanta pressa de ficar rico, que nem percebe que a pobreza está chegando.” (Provérbios 28:22)

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 25/09/2015 – Sexta-feira


Tema: Problemas financeiros e dívidas

Neste segundo post dessa nova série abordaremos sobre dívidas, essas famosas parcelas, que não nos deixam…… são nossas aliadas e parceiras para melhorar de vida e incrementar nosso patrimônio, mas só se usarmos e trabalharmos lado a lado de maneira equilibrada e sábia, evitando supérfluos e coisas desnecessárias.

Sendo assim, o segundo ponto salienta evitar dívidas desnecessárias.

Pense o seguinte: se você está endividado, primeiramente deve evitar novas contas, mas se não tem como evitar e não consegue quitar suas dívidas anteriores, procure negociar os pagamentos com seus credores, ou procure tocar uma divida pela outra, por exemplo, procure um empréstimo a juros menor que o juro de sua dívida e faça um pacotão pagando as dívidas com o empréstimo.

Não desista, persista, o artigo salienta que “mesmo se sua primeira tentativa não der certo, continue tentando um acordo”. Lembre-se de que a bíblia salienta que “quem toma emprestado é servo do homem que empresta.” (Provérbios 22:7)

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 18/09/2015 – Sexta-feira


Problemas financeiros e dívidas

Como podemos imediatamente amenizá-los? Como podemos a curto, médio e longo prazo resolvê-los?

Essa semana abordarei o primeiro ponto que é planejar os gastos. Isso mesmo planeje seus gastos, não vá logo comprando algo por impulso ou só porque está em promoção.

Faça um planejamento financeiro, ou orçamento, e apegue-se a ele. Nem toda promoção realmente te serve, ou tão pouco é o momento certo para essa compra.

Não é porque um produto está 20 ou 30 por cento com promoção que significa que ele esteja barato.

É claro que às vezes podemos encontrar a bola da vez, uma ótima oportunidade, sendo assim, se estivermos com o planejamento em dia, saberemos se podemos comprar isso, ou quando podemos comprar ou até quantos podemos gastar.

Portanto “Quem planeja com cuidado tem fartura, mas o apressado acaba passando necessidade.”(Provérbios 21:5)

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 11/09/2015 – Sexta-feira

Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

Já ouvir falar do velho ditado de domar as rédeas do cavalo ou do boi bravo difícil de domar. Lembra de alguma habilidade que tinha dificuldade entretanto com o tempo, estudo ou esforço hoje você domina, ou seja, hoje você controla, está em suas mãos!

Com as finanças é o mesmo sentido, será muito complicado montar um patrimônio se não aprender a lidar com o dinheiro. E de nada adianta guardar dinheiro por guardar sem um objetivo em si, pois com o tempo ficará frustrado, uma vez que guarda e não usufrui do seu trabalho, alinhado com os seus valores, seja ela qual for, segurança, lazer, etc…

Portanto, controle suas finanças, as entradas e saídas do dinheiro, crie um fluxo para controlar isso. Anteriormente já postamos aqui no blog vários exemplos, retorne e análise cada um deles e veja o melhor para você.

Pense o seguinte, da mesma forma que para emagrecer, você precisa comer menos e se exercitar, com as finanças não é diferente, você precisa gastar menos do que ganha e estudar, descobrindo investimentos que lhe dão um bom ganho, seja ele qual for, de maior ou menor risco.

Acredite, criando seu controle, vendo no papel ou computador sua vida financeira, fica muito mais fácil de visualizar corretamente sua situação, hoje e no futuro, de uma maneira sábia e confortável.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)

Dia: 04/09/2015 – Sexta-feira 


Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

Atualmente muitas pessoas comentam, sobre a falta de amor, sobre os problemas que assolam o muito, é notório a falta de amor, mas existe outro ponto que atrapalha e muito, que são os valores, que foram esquecidos e suprimidos por esse mundo. A falta de educação, gentileza, generosidade, palavras e gestos simples, porem impactantes e de alto valor para uma sociedade mais justa.

Então os valores, esse conjunto de particularidades que uma pessoa possui, ajuda como guia para seguir sua vida e para tomar decisões sejam elas quais forem. Os valores estão diretamente ligado com a ética.

Sendo assim, o nosso quinto passo é sobre o criar e conhecer o valor pessoal e do casal, pois assim, o valor que possuem vão guiar onde aplicar suas finanças e como moldar seu patrimônio, é como escalar as prioridades do casal de acordo com os valores, por exemplo, se o principal valor do casal é a segurança financeira, não valeria a pena gastar todo o dinheiro das férias num carro possante e viajar para Paris, pois o foco está na segurança e não na diversão. O casal talvez ficasse mais estressado, preocupado com os gastos excessivo e sentiria falta de segurança com medo de ser mandado embora e dificilmente iria relaxar.

Portanto, descubra os valores do casal, equilibre os mesmo, para não ocorrer frustração, o segredo é a sabedoria no equilíbrio e o prazer de desfrutar do ganho do seu trabalho.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 31/07/2015 – Sexta-feira


Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

Lembram do post 2 dessa série que mencionava sobre status ou ego, pois então o nosso quarto ponto: corra dos juros, precisa da ajuda dele. O juro é uma remuneração adicional cobrada pelo empréstimo de dinheiro, ou seja, é um valor pago como garantia antecipada pelo empréstimo ou compra de algo, caso ocorra inadimplência. Trocando em miúdos seria algo a mais cobrado, embutido na compra ou empréstimo, pois a pessoa que empresta assume o risco pela negociação.

Então temos de evitar, de toda forma, os juros, seja pela compra de algo ou empréstimo. Por exemplo, crediário de lojas, cheque especial, limite de banco, compras parceladas, tudo possui juros altos embutidos.

Por isso, deve saber onde chegar, traçar seus objetivos como já comentamos e não deixar o status ou ego atrapalhar, para não pagar juros abusivos e ao invés de aumentar seu patrimônio, estará aos poucos deteriorando o mesmo.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 24/07/2015 – Sexta-feira

 Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

O tema continua sendo o mesmo pessoal….seguindo nossa série de 6 pontos sobre um bom patrimônio familiar, abordaremos o terceiro passo: fique atento com o que adquire, isto é, seja cauteloso com os bens que adquire!!

Lembra do velho conhecido ditado, ou melhor, sermão de avó e avô….. o novo nem sempre é bom, e o velho nem sempre é obsoleto…..então, nessa mesma linha de raciocínio, pense o seguinte: um carro novo e maior, mais luxuoso, provavelmente, será mais caro, puxará junto com ele, imposto mais caros, seguro, combustível, estacionamento e manutenção também!!! Uma casa segue a mesma ideia, pode vir com esses embutidos que não vemos a longo prazo, iptu, manutenção, limpeza, etc…que formam um montante alto de dívidas no inicio do ano!

Sendo assim, pense o seguinte: o seu patrimônio é composto de bens, e se esses bens aplicados ou adquiridos geram muitas dívidas, não é um bom negócio, portanto procure pensar em algo menor, ou pensar diferente, por exemplo, compre uma casa, mas não para morar ou mudar, mas sim para alugar…… um novo carro, não melhora ainda uma frota de carro para alugar, para táxi, sei lá invente, pense, empreenda…

Com isso estará, mantendo e aumentando o seu patrimônio com bens que geram receitas e não dívidas…..

 ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 17/07/2015- Sexta-feira


Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

Seguindo o foco do nosso último post sobre formar um bom patrimônio familiar, nessa semana abordaremos o segundoponto: Status e ego, ou seja,  o grande duelo existente entre eles e nossa vida financeira, econômica e social. Nunca devemos deixar o ego falar mais alto, necessitamos procurar o equilíbrio para não cair, precisamos estar no controle da nossa vida. Lembre que o dinheiro em nossa vida é uma forma de troca, e não nossa vida em si, ele deve ser nosso aliado e não nosso senhor.

Se não nos tornamos escravos do mesmo, sempre querendo algo melhor e maior, gastando e gastando mais, consumindo tempo preciso e perdendo esse tempo que poderia ser usado com as outras coisas importantes da vida, que não advém do dinheiro, e que o dinheiro não compra…

Esse consumismo existe em nossa sociedade, nosso ego ou busca pelo status, facilitam isso e dificultam a vida de muitos, sendo assim, não que consumir seja ruim, mas devemos o fazer de forma equilibrada, ai ele se torna um aliado e não um vilão, devemos ser conscientes ao consumir!!!!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 10/07/2015 – Sexta-feira


Tema: Pontos chaves para um bom patrimônio familiar

Muitos casais objetivam montar um belo patrimônio familiar ao longo da vida, na teoria se torna algo simples, disse simples, não fácil, tudo de valor em nossa vida exige esforço, essa é a diferença entre ganhar e conquistar ou gerar algo em sua vida.

Para aspirar um patrimônio financeiro familiar, deixarei aqui alguns passos, abordaremos 6 no total, portanto cada semana comentaremos um.

O primeiro é sobre descobrir o que necessita. Para descobrir o que necessita, irá utilizar as perguntas mágicas do post passado, o que? para quando? e quanto?

Esse é o primeiro passo para a caminhada, quero uma casa, um carro, mobiliar, decorar, filhos, formação, e assim por diante, defina claramente isso, para traçar os outros passos. Pense o seguinte: uma corrida de 20 km começa com o primeiro passo, de maneira similar, um belo patrimônio familiar começa com o norte do mesmo, a base que o casal instala, para almejar os outros sonhos.

Cabe frisar que riqueza segundo o dicionário é abundância de bens, sendo assim, não significa que riqueza seja acumular dinheiro, muitos com infinitos dinheiros possuem infinitas dívidas e contas, e por fim são infelizes e sem sucesso…. Portanto a riqueza dentro do casal é um composto dos sonhos, equilíbrio na vida que o casal almeja, bem definidos nesse primeiro passo e também saber usar de maneira sábia os recursos que possui, lembrando que o maior e melhor recurso que temos é o nosso capital intelectual e não dinheiro…

Sem sabedoria, inteligência e discernimento não se administra dinheiro, só se ganha dívidas. Já o inverso, ou seja, dinheiro com um pacote de sabedoria, se torna recurso….

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 03/07/2015 – Sexta-feira


Tema: Perguntas Mágicas

Muitas pessoas possuem o sonho de serem bem sucedidas, tendo a ideia erronia de que o sucesso advém de ter dinheiro, é o conceito que o mundo passa de sucesso. Entretanto, sucesso segundo os dicionários, significa ter êxito, bom resultado, sendo assim, não seria um equivoco mensurar o sucesso apenas pelo lado financeiro? Claro que sim. O sucesso na vida é um equilíbrio entre tudo, um bom relacionamento com Deus, amigos, família, esposa, ter um bom trabalho, se preocupar com a saúde, lazer, estilo de vida, isso sim é sucesso!!!!!

Mas para isso acontecer e com o nosso foco é finanças no casamento, existem 3 perguntas que devemos levar em consideração quando desejamos adquirir algo, ou ter sucesso financeiro. São elas: O que queremos? Para quando queremos? E quanto estamos disponíveis para arcar com isso?

Essas perguntas ajudam e muito para afunilar o planejamento e manter o equilíbrio no mesmo. Auxiliam a mensurar se é um desejo, necessidade ou supérfluo. Levam a refletir o tempo, se é curto, médio ou longo prazo. Sem falar na mensuração do dinheiro, pois terá a noção de quanto irá gastar, mensalmente ou no montante.

Leve isso em consideração nas tomadas de decisões. Acredite vai ajudar e muito!!!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 26/06/2015 – Sexta-feira


Tema: Necessidade e supérfluo

Antes de iniciarmos esse tema, vamos diferenciar uma coisa da outra ok!

Necessidade segundo o dicionário é uma característica ou particularidade do que é necessário (essencial). Aquilo que não se consegue evitar, deve existir, como por exemplo, comer e beber é uma necessidade, é necessário para a manutenção da nossa vida.

Ja supérfluo, segundo o dicionário, é a característica ou propriedade daquilo que transcende o necessário, ou seja, que pode ser considerado mais do que o essencial (não necessário). Em outras palavras, que é demais, que se define pelo excesso, exibicionismo ou extravagância.

Por exemplo, um carro é necessário na vida em que vivemos, trabalho, casa, vida social…..ainda mais para um casal, compras, mercado, família, amigos, carona……e ainda mais para um casal com filhos, nem preciso falar…….

Imagine o cotidiano do trabalho, seja longe ou perto, um simples carro vai ajudar no trajeto e poupar tempo e te dar conforto. Entretanto, um carro com ar-condicionado e som, não é tão necessário, mas ajuda, convenhamos. Agora ter uma Ferrari é totalmente supérfluo, desnecessário, se torna uma extravagância, mero status.

Sendo assim, com as definições em mente, vimos que ambas são diferentes, mas existe uma linha tênue entre as duas, essa linha é a que vamos trabalhar, trata-se do tempo em que as duas ocorrem, cada um tem a sua importância, mas na ordem e tempo certo.

O necessário depende do tempo e instante aplicado, por exemplo, o carro que comentamos. Mas existe outro exemplo, o famoso ‘sair para passear”, pode ser necessário para quem se programou e enxerga isso como um prêmio, seria isso o lazer, a vida do casal pede. Entretanto, pode ser supérfluo para aquele que só enxerga como um refúgio de problemas e compulsividade, sem falar em status e escolher sempre o mais caro e melhor, não com o intuito de qualidade, mas sim de exibicionismo.

Pense o seguinte: é necessário comprar um sapato novo, pois preciso me locomover com mais conforto. Sendo assim, deve escolher um bom sapato. Mas é supérfluo escolher um sapato de R$ 1.000? Depende, justamente do tempo. Por exemplo, se faz tempo que não compra outro ou se sempre se programa para comprar, isso não é supérfluo, é uma compra programada de qualidade. Pense o seguinte: Se você planejou e fez toda uma programação financeira, se torna algo agradável, vale o esforço e recebe o prêmio.

Agora se você compra toda semana, mês ou se tem outras prioridades, ou está sem dinheiro, ou irá parcelar, não compensa, se torna supérfluo, pois existem outras possibilidade mais baratas.

Nessa mesma linha temos o lazer (saidinhas, cinema, balada, sorveteria, pizzaria, etc e tal……), gastar dinheiro com o lazer é necessário, e é uma ótima pedida par ao casal, devem sim fazer isso, incluir no orçamento e planejamento familiar uma porcentagem para o lazer. Entretanto, se não se faz isso o lazer, pode se tornar um vilão, ou como estamos dizendo entrar na fatia do supérfluo, pois se não limitar o tempo certo e o valor para isso, pode gerar uma bola de neve financeira no final do mês.

Sair para jantar, cinema, curtir com os amigos, é importante para a vida social e do casal, mas o mesmo não pode comprometer a vida financeira ao ponto de começar a causar problemas ao invés de lazer.

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 19/06/2015 – Sexta-feira


Tema: Equilíbrio!!!

Seguindo a mesma ideia de realizar seus sonhos… não leve a ferro e fogo, tudo para realizar o mesmo, nesse caso os fins não justificam os meios, você deve ter um conceito equilibrado sobre o dinheiro.

Deve estabelecer tempo, esforço e sacrifícios estipulados, não deve abrir mão de coisas importantes na vida ou sacrificá-las, você precisa ter o norte e delimitar como seguir. Existe uma frase ou ditado que diz que se você não sabe aonde quer chegar, qualquer caminho serve, mas no caso financeiro isso é um erro, o vento pode te levar a lugares que não deseja, e totalmente desagradáveis, portanto estabeleça os objetivos e faça todas as metas para realizar os mesmos. Por exemplo, um time de futebol tem o objetivo de ganhar, mas para conseguir tal feito, o mesmo tem a meta de marcar gol, de não sofrer gol, de defender, e assim por diante….

Os sonhos são importantes, são eles que nos movem e motivam e nos tiram da realidade as vezes dura, mas assim como não devemos usar de tudo para realiza-los, existe ainda uma outra dificuldade que atrapalha e muito, que é o ego, e não podemos deixar ele falar mais alto, o ego essa necessidade de reconhecimento social é um dos maiores problemas , não que seja ruim, mas ele anda junto com a busca excessiva de status e a busca constante do consumismo, imediatismo, por exemplo, aqui e agora, quero um sapato melhor, mais novo, carro ou casa nova e maior, etc

Para refletir, deixo um link interessantíssimo de um artigo sobre a forma equilibrada de lidar com o dinheiro. Mas para adiantar, veja as perguntas:

Pode ser que depois de uma autoanálise você reconheça que precisa ter um conceito mais equilibrado sobre o dinheiro. Por exemplo, pergunte-se:

· Sou atraído por esquemas de enriquecimento rápido?

· Acho difícil ser generoso?

· Acabo fazendo amizade com pessoas que estão sempre falando sobre dinheiro e as coisas que têm?

· Estou disposto a mentir ou a fazer coisas desonestas para ganhar dinheiro?

· O dinheiro faz com que eu me sinta importante?

· Estou sempre pensando em dinheiro?

· Minha atitude com relação ao dinheiro está prejudicando minha saúde e minha vida familiar?

Pense sobre isso, semana que vem abordaremos sobre necessidade e supérfluo…..

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 12/06/2015 – Sexta-feira


Tema: Realizando sonhos!!!

Para você realizar seus sonhos seja ele qual for, você precisa primeiramente acreditar neles e em você, e criar um ambiente para que tudo se concretize…. estude, trabalhe, planeje, se divirta, mas com um objetivo em mente. Pense o seguinte: um carro só vira para a direita ou para a esquerda se ele estiver em movimento, do mesmo modo nossa vida e nossos sonhos, os mesmos só se concretizam se estivermos em movimento e criando ambiente para que ocorram.

Diante disso estabeleça um data para esse sonho, por exemplo, vou comprar um carro, uma moto, fazer uma viajem, trocar os sapatos, etc….coloque uma data para isso, e crie mecanismos para que isso ocorra nessa data. Você precisará conhecer suas despesas, saber o quanto tem, o quanto pode gastar e poupar, a diferença entre necessidade e supérfluo, e entender que ambos são bons e interessantes, mas cada um no seu tempo. Também deverá cortar gastos, isso é inevitável, às vezes temos de “sangrar o orçamento” para realizar e juntar dinheiro, infelizmente isso exige esforço, e esses cortes ao fim do mês podem dar um bom montante. Outra boa pedida é evitar compras por impulso e muitas compras parceladas, pois isso impacta muito no orçamento no final do mês e compromete os meses seguintes, que podem ter imprevistos. Por fim, aposte “no faça você mesmo”, esse grande movimento de tentar realizar coisas que você paga para alguém fazer, tipo: lavar carro, cortar grama, lavar e passar roupa…….

Tudo sonho exige esforço, essa e a diferença de ganhar e conquistar!!!

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 05/06/2015- Sexta-feira


Tema: Prática….Modelos de planejamento (planilha)

Bom!!! Nós já vamos falamos bastante teoria nos posts passados, sendo assim, vamos para a prática agora!!!

No nosso último post falamos dos exemplos de planejamento financeiro, como a caderneta planilha no Excel e softwares.

Portanto hoje, deixaremos aberto para você casal escolher o melhor modelo que se encaixe em sua rotina.

Todos possuem vantagens e desvantagens, cabe a você casal escolher o seu!

Por exemplo, a caderneta é prática, precisa de um caderno ou diário e uma caneta, mas fica difícil de carregar na bolsa ou bolso, e no dia a dia, além de precisar sem sombra de dúvidas de uma calculadora. Já a planilha do Excel, é excelente, faz todos os cálculos, é adaptável a cada pessoa, possui uma infinidade de informações, como gráficos, amostragens e etc, entretanto, deve estar instalada no computador ou smartphone e para ser precisa deve ser preenchida sistematicamente, a pessoa deve ter noção avançada de informática.

Por fim, o software, tem o mesmo modelo do Excel, entretanto ele vem pronto, não precisa moldar, existem alguns que são off e outros que precisam estar conectados na internet, eu aconselho os off, pois pode instalar no computador ou no smartphone, o ponto negativo é que não sincroniza em máquinas diferentes, precisa fazer isso manualmente.

Como disse, todos são excelentes ferramentas para realizar o planejamento, deve escolher o melhor para o casal.

Segue abaixo os links para as ferramentas financeiras:

Caderneta: A caderneta, possui o mesmo layout, formato, da planilha do Excel, a diferença é que deve realizar no caderno e com a ajuda de uma caneta e a amiga calculadora.

Planilha Excel:http://www.financasforever.com.br/planilhas-financeiras-gratuitas/

Software Orçamento Pessoal:http://www.vbbsoftware.com/orcamento-pessoal/

ESCRITO POR ANTÔNIO RAMOS – Administrador Financeiro)


Dia: 29/05/2015 – Sexta-feira


Tema: Educação Financeira

No último post finalizamos os passos ou princípio do planejamento financeiro dentro do casamento.

Agora faremos apenas uma explanação sobre esse tema de suma importância.

Sem educação financeira, qualquer casal, via de regra, não irá visualizar e perceber a importância do dinheiro e as maneiras interessantes de usá-lo (poupar, investir, viajar, comprar um presente, etc) então, podem apenas ir levando a vida sem muita expectativa, ganhando e gastando, sem objetivos exposto ao consumismo e imediatismo, correndo o risco de entrar em dívidas.

Sendo assim, seguir os passos que mencionamos e os posts anteriores ajudam, ou buscar ajuda financeira, recorrer a sites especializados, livros e artigos.

No cenário exposto acima o casal literalmente não sabe para onde vai o seu dinheiro, possuem uma noção de alguma coisa, de contas altas e que são recorrentes, entretanto via de regra recebem, gastam e não possuem controle.

Um grande ponto a analisar é o seguinte, como disse o casal ou as pessoas em geral, se lembram das grandes contas, altas e que se repetem, mas esquecem, que o descontrole começa com os pequenos gastos pulverizados, várias contas pequenas, vários cartões de créditos e lojas…..

Portanto, para alinhar isso, deve procurar realizar um bom planejamento financeiro familiar, seja por caderneta, planilha no Excel ou softwares financeiros gratuitos, todos possuem grandes vantagens e desvantagens, deve encontrar a melhor maneira para o casal, mas todas são excelentes ferramentas que auxiliam no controle financeiro do casal mensalmente. Com isso conhecerá na palma da mão como está a vida financeira do casal.

# Fica a dica: inclua as finanças no bate papo do dia a dia…faça planejamento…use o dinheiro de maneira sábia!!!!


antonio e mada


Dia: 08/05/2015 – Sexta-feira


Qual o seu sonho? e o que você tem poupado para realizá-lo: poupar ? o que é isso?

Tema: Planejamento 4º e último passo

No post de hoje finalizaremos a série dos princípios ou passos fundamentais para o planejamento financeiro dentro do casamento.

O quarto e último passo fala sobre dar sentido à sua poupança. Toda pessoa tem sonhos, ambições e objetivos que almeja atingir durante a vida, e com o casamente não é diferente, só que são os sonhos de duas pessoas alinhados para um bem maior, a família. Então o casal deve procurar fazer a administração e o planejamento de suas finanças em função desses objetivos. O autor Frankenberg (1999) é bem incisivo ao dizer para não buscar as soluções simplesmente imitando o estilo de vida de outras pessoas.

Sendo assim, sobre esse ponto, o casal deve se preocupar com a poupança, para isso pode usar uma conta simples, mas para essa fórmula dar resultado, precisa tornar-se um hábito, precisa haver exercício e muita disciplina. Pense no seguinte: escovar os dentes tornou-se um hábito, todos fazer sem nem perceber, chega a noite e faz como um ritual. Entretanto, ninguém fica feliz ao dormir e pensa, ai meu deus, chega logo cedo para eu escovar o dente, não…. mas faz, pois se tornou um hábito, com muita disciplina. O que pensamos se tornam ações e ações feitas repetidas vezes se tornam hábitos.

Agora voltando a fórmula a conta simples: Por exemplo, se o casal ganha R$ 1 mil, R$ 500 reais podem ser para as suas despesas fixas, R$ 300 para o lazer e R$ 200 precisam ser poupados. A cada mês, se possível, é preciso aumentar a quantia que se poupa. O ideal, é 30% da renda ser poupada, ou seja, que as despesas fixas sejam 30%, o lazer 30% e a poupança 30%.

Quando o casal começa a ver dinheiro sobrando na conta e o  poder de compra e barganha aumentando, isso te dará prazer. O que motivará a continuar poupando e aumentando gradativamente. Mas no começo, não precisa ser necessariamente percentuais fixos, porque imprevistos sobrevém a todos (Eclesiastes 9:11)  e às vezes podemos ter uma emergência e não conseguirão poupar, com isso sofrerão, desanimarão e poderão parar de economizar, portanto, o objetivo é criar o hábito.

#Fica a dica: Poupe, dê sentido a poupança…..

Eclesiastes 4:6 diz: “Melhor é um punhado de descanso do que um punhado duplo de trabalho árduo e um esforço para alcançar o vento.”

“Para o homem não há nada melhor do que comer, e deveras beber, e . . . ver o que é bom por causa do seu trabalho árduo.” — Eclesiastes 2:24


dom e mi


Dia: 24/04/2015 – Sexta-Feira


Tema: Planejamento 3ª Passo

Qual o prazo que o casal precisa para planejar?

Continuando nosso bate papo sobre a construção do planejamento financeiro dentro do casamento, comentamos agora sobre o terceiro passo, que diz respeito ao tempo (prazo).

O terceiro passo explana acerca de prazo no aspecto a curto, médio e longo prazo, ou seja, olhar para depois de amanhã, olhar para o futuro. Um planejamento, com receitas, despesas, investimento e poupança, contemplando o médio e o longo prazo, estimula e favorece o crescimento patrimonial do matrimônio para a vida toda.

Sobre o terceiro princípio podemos destacar que devemos estar a par da situação financeira do casal, cada um conhecendo bem. É mais fácil exagerar nos gastos quando você não sabe ao certo como está sua situação financeira. Mantenha registros atualizados e tenha uma visão geral de quanto o casal está ganhando e gastando. Faça um orçamento realista do que pretende gastar todo mês com base da renda e despesas anteriores.

#Fica a dica: Acompanhe seus gastos e veja se estão dentro do orçamento…


Reni e Jane


Dia: 17/04/2015 – Sexta-feira


Tema: Planejamento 2ª Passo

Como continuar planejando? o que será do futuro?

O tema que estamos discutindo aqui no blog é a construção do planejamento financeiro dentro do casamento, no último post, comentamos sobre o primeiro passo, que diz respeito a quem guarda o que possui.

Agora nesse novo post iremos comentar o segundo passo, que segundo Frankenberg (1999)  é começar rápido.

Pense o seguinte: se você começar a se preocupar com sua fonte de renda imediatamente, enquanto estiver em plena posse de sua capacidade de trabalho e de seu vigor físico e intelectual, chegará à velhice sem depender de filhos, amigos, familiares ou de uma Previdência Social insuficiente.

Dentro desse ponto podemos abordar sobre a escolha de um grupo de amigos. O estilo de vida e as conversas dos amigos influenciam muito nossos desejos. Se o casal está gastando demais para competir com seus amigos, então procure a companhia de pessoas que não dão tanta importância para o dinheiro e bens materiais.

Segundo o autor Frankenberg (1999) a influência do meio em que vivemos é muito grande sobre os atos que tomamos. Muitos sociólogos e psicólogos afirmam que o meio ambiente em que vivemos é tão determinante quanto os fatores hereditários. É como a célebre frase diz: “diga-me com quem andas e te direi quem és”, onde mostra que a influência de outros seres humanos, com os quais entramos em contato durante nossas vidas, seja no ciclo de amigos, trabalho ou estudo, também influenciam no nosso consumo, mas não de forma decisiva.

Portanto, a ideia central nesse ponto, é pensar no agora e no futuro, detalhar o que ganha com o que gasta. E deixar bem claro os objetivos alinhados do casal para o futuro. Pois assim, os dois andam juntos, lado a lado na mesma estrada com o mesmo foco e para um determinado período específico.

#Fica a dica: Pense, converse, detalhe e comece rápido…


Dia: 10/04/2015 – Sexta-feira


Tema: Planejamento 1ª Passo

Como o casal pode dar inicio a um bom planejamento?

No post passado falamos que entraríamos nos primeiros passos para o planejamento financeiro dentro do casamento. Para isso vamos fazer uma analogia do casamento como uma empresa.

Imagine que seu casamento é uma empresa, grande ou pequena em termos de receita financeira ou patrimônio e em boa condição econômica, mas fica atolada em dívidas ou frustrada por não conseguir se administrar. O que você pensaria? Firmemente, que o modo para sair dessa complicação é um bom planejamento financeiro? O que aconteceria se você fizesse isso? Aos pouco, com muita disciplina e força de vontade, a situação melhoraria?

É como a história da água mole pedra dura tanto bate até que fura. A água mole só fura a pedra dura porque ela é persistente.

Sendo assim, apesar dos cônjuges serem inteligentes, poderosos e focados, a empresa (casamento), se não for disciplinado e usar a administração financeira não conseguirá sair da situação exposta anteriormente e consequentemente afundaria num mar de complicações apesar de seus melhores esforços. Isso é o que muitas pessoas fazem quando precisam usar o planejamento financeiro, sem intenção, não sabe como utilizar e aplicar esse poderoso aliado.

Existe uma carência ou falta de preparo para lidar com as finanças, via de regra, muitas pessoas dentro do casamento não possuem o hábito saudável de realizar o acompanhamento do orçamento pessoal.

E essas pessoas integram uma fatia generosa do casamento acostumada a utilizar o limite do cheque especial e do cartão de crédito, além de efetuar compras com parcelamentos longos, tomando como base apenas o valor da parcela, ou seja, o famoso “cabe no meu bolso”.

Na revista Despertai apud Twenge (2010), autor do livro A Epidemia do Narcisismo, diz que comprar coisas caras a crédito só para parecer que tudo está bem e se sentir feliz é como fumar crack para melhorar o humor. No começo é barato e funciona — mas apenas por um curto período. A longo prazo, porém, deixa você pobre e deprimido.

Segundo Frankenberg (1999) existem quatro princípios fundamentais que devemos entender e aplicar a respeito da administração financeira pessoal.

O primeiro diz respeito a quem guarda o que possui. Para Frankenberg (1999), não existe mágica para formar um bom património. Seja grande ou pequena sua renda atual, é fundamental você se disciplinar para não gastar tudo o que ganha. É imprescindível reservar sistematicamente uma parcela de suas receitas para formar os investimentos que irão representar sua segurança e trazer a tranquilidade financeira almejada em momentos de dificuldade.

Até o próximo passo…

#Fica a dica: Administre, planeje, para não ter retrabalho e dor de cabeça…


Dia: 27/03/2015 – Sexta-feira


Tema: Administrar Dinheiro

Como o casal pode administrar as finanças? como planejar? o que devem fazer?

Tudo na nossa vida precisa de planejamento e administração seja para um simples bate papo à compra de um carro, casa, etc. Dentro casamento e sobre dinheiro, não seria diferente, precisamos administrar e planejar.

Pense no seguinte caso: o esposo pensa….minha esposa,  está gastando muito  dinheiro com produtos supérfluos ou que não são necessários ou precisamos agora. Ou reflita sobre o mesmo caso, só que por outro ponto de vista – Meu marido sabe que não sou muito boa em economizar, mas ele também não observa que procuro melhorar sempre e ele não tem mínima ideia de quanto custa as coisas hoje em dia, por exemplo, arroz, feijão, os itens necessários para comer, lavar, higiene e cuidar da casa.

Isso acontece muito, por isso a importância de mais uma vez conversar, alinhar e estar em equilíbrio, mas para isso entraremos em outro ponto o sexto passo: administrar as finanças, ter gestão financeira, isso visa o equilíbrio das finanças em casa, ou seja, gerenciar e alocar de maneira sábia e eficiente o dinheiro dentro da família.

Torna-se cada vez mais evidente em nossa cultura esse cenário onde os pais que não cuidam ou administram o dinheiro, buscam alternativas para gerar mais renda, isso arremete a trabalhar mais, o que tira o tempo sagrado da religião, família,  descanso e lazer que todos precisam. Isso cria um efeito dominó negativo, marido e mulher se afastam, brigam discutem, os filhos adquirem uma imagem negativa, um exemplo ruim e acabam aprendendo a não serem equilibrados com as outras pessoas, relacionamentos e com o dinheiro.

Sendo assim, faça o planejamento, administre ponto a ponto, pois o dinheiro deve ser nosso servo, para suprir todas as necessidades, ele deve ser um aliado, e não nosso rei. O dinheiro é para proteção, vário autores comentam isso e também a bíblia salienta em Eclesiastes 7:12.

Por fim, esse post foi uma introdução para o grande e o próximo post, que é fazer um orçamento ou planejamento financeiro.

#Fica a dica: Administre, planeje, para não ter retrabalho e dor de cabeça…


Dia: 13/03/2015 – Sexta-feira


Tema: Conhecendo e estabelecendo os limites!

Qual o limite financeiro do casal? os objetivos do casal já estão definidos? qual a importância do casal alinhar orçamento e os gastos?

 O casal, quando está alinhado e afinado no amor, mas também aliado e fiel economicamente, deve conhecer e estabelecer os limites financeiros para todos os objetivos, seja a compra de um sapato ao carro novo.

Devem ter em mente a suas receitas e despesas, esse é o quinto passo: conhecer e estabelecer os limites, para ter a noção precisa do orçamento e consequentemente dos gastos, alocando cada um em seu devido lugar… ganho, custos, poupança, investimento e lazer de uma maneira geral.

O interessante, como sempre frisamos aqui, é fazer junto e misturado, o casal deve estar ciente de tudo, por exemplo, a compra de um carro, é um processo custoso e envolve um grande parte de investimentos, poupança e parte do salário do casal, sendo assim, deve-se ter uma boa conversa e um ótimo planejamento.

O interessante é procurar checar as prioridades e objetivos em comum, para alinhar e conquistar esse sonho.

Por isso cabe-se ressaltar novamente a importância de conversar e alinhar tudo em conjunto, isso deve ser uma constância e hábito no casal. Para que ambos sempre estejam alinhados e concordem com os objetivos traçados em detrimento com o planejamento realizado.

#Fica a dica: Conheça e estabeleça os limites financeiros juntos…


Dia: 06/03/2015 – Sexta-feira


Tema: Divisão de despesas!

Quando comprar? Qual escolha o casal deve fazer? Mas as preferências? Quem dividi o que? Eu preciso, ou eu quero? Permissão ou aviso?

 Já falamos da importância do diálogo no casamento, de ser tudo junto e misturado no que tange as finanças e também sobre o papel de cada um. Nesse mesmo ensejo, sabemos que não tem como tudo ser unificado, existem coisas particulares do homem e também da mulher, por isso cada um, uma hora ou outra, terá um gasto diferente, como um vestido, corte de cabelo, ou a compra de um sapato e terno.

Para isso, não existe um segredo para dividir os gastos, o que deve ter é equilíbrio, ou seja, procurar o melhor para ambos, ficar confortáveis. Sendo assim, aparece o quarto passo: equilíbrio e conforto nas despesas para o casal. Isso faz com que não ocorra o famoso jargão de traição financeira, infidelidade financeira e por ai vai… onde um dos cônjuges começa a esconder as contas e consequentemente deteriora o planejamento financeiro do casal.

A liberdade financeira dentro do casal deve ocorrer, mas sempre dentro do planejamento traçado, assim não prejudica ninguém e não fica aquela coisa de permissão pra um ou para o outro, lembrando que cada um deve ter o seu papel e que também existe uma diferença entre pedir permissão e avisar, pois avisar deixa tudo claro dentro do casal, evitando possíveis conflitos.

#Fica a dica: Equilibre as contas… de maneira confortável…. conversando e avisando!!!!


Dia: 27/02/2015 – Sexta-feira


Tema: O papel dentro de casa

De quem é a última palavra dentro de casa? Qual é o papel do marido? Qual é o papel da esposa no lar?

Cada um em casa tem um papel a desempenhar, se não para que ter marido, mulher, filho, seria só família e pronto, mas não cada um deve exercer sua função, seu papel da melhor maneira possível para a família existir e para fortalecer o casamento.

Dentro desse contexto iremos abordar o terceiro passo: exerça seu papel. Pois não podemos tomar decisões sozinhas, devemos compartilhar e cada um sabendo seu papel fica melhor e mais sábio.  Sendo assim, a bíblia salienta o modelo da estrutura de um casal, ela menciona que até mesmo Jesus tem alguém como mentor, como líder , a quem ele se rebaixa e se submete, note que em 1 Coríntios 11:3 diz: “A cabeça do Cristo é Deus”, assim como “a cabeça da mulher é o homem”. 

Portanto, fica evidente a estrutura do casamento, da família, mostrando que o cabeça da família é o homem, entretanto isso não quer dizer que ele é o manda chuva, mas sim que ele toma a dianteira, protege e evita preocupações e dores a esposa e família, ele é o líder, mas leva em consideração e conversa sobre tudo com a esposa, incluindo as finanças, esse é o seu papel. E a esposa, é o braço direito, a bíblia e Gênesis 2: 18 diz que a mulher é uma “ajudadora” e a melhor conselheira, a esposa “deve ter profundo respeito pelo seu marido”. Tem um ditado que fala… sempre atrás de um grande homem existe uma grande mulher.

Por fim, marido e esposa devem buscar ao máximo desempenhar seu papel em harmonia, pois em Efésios. 4:32,  ‘se tornarem benignos um para com o outro, ternamente compassivos, perdoando liberalmente um ao outro’.

Portanto, devemos ter o amor altruísta, ou seja, se dedicar ao outro, ter intenso amor pelo outro. A grande maioria dos casais procura ser amável, gentil, ter preocupação e busca o melhor um pelo outro, pois, quando surgem problemas, fica bem mais simples controlar as emoções.

#Fica a dica: Descubra e exerça seu papel, escute, aprenda, tome decisões juntos em harmonia, pois assim o casamento fica mais fortalecido.


Dia: 20/02/2015 – Sexta-feira


Tema: Juntos e Misturados

O nosso primeiro post foi substancialmente sobre conversar sobre o dinheiro, deixar isso fluir no diálogo cotidiano do casamento. Sendo assim, nosso segundo post, será a sequencia disso, ou seja, será o início para um planejamento financeiro familiar, mas para isso deve-se entender o segundo passo: todas as decisões devem ser discutidas juntas, após esse breve estudo, todas as decisões devem ser tomadas em conjunto. Tudo junto e misturado, essa é a sacada!

Por exemplo, para planejar o final do ano, férias, contas, impostos, escola, compras, precisa-se de uma boa porção de tempo, discussões e estudo, isso já é a base para conversar sobre o dinheiro. Para isso deve-se levar em consideração, o alicerce financeiro dos dois, ou seja, o salario, que deve ser dois em um, com isso em mente fica mais fácil planejar e conversar sobre as despesas e tomar as decisões juntos, pois mexe no bolso dos dois.

Existe uma máxima na educação financeira, tanto empresarial ou pessoal, devemos analisar o custo benefício de tudo.

Quando casamos, já falamos isso antes, se tornamos dois em um. Devemos lembrar disso, pois existe casais que ganham o mesmo salário, mas existem outros que uma ganha mais do que o outro, por isso, um não deve anular o outro ou sobressair o outro em tomadas de decisões, pois não existe mais um ou outro, mas sim, dois em um, juntos e misturados. Portanto, a sacada é sempre tomar as decisões juntos, levando em consideração as ponderações da esposa e do esposo, entrando em um acordo, para que nenhum dois fique frustrado.

#Ficaadica: converse sobre dinheiro, tome decisões juntos, o casal é dois em um… o tema finanças deve ser um tema corriqueiro dentro de um casal, assim, como, filme, comida, lazer e assim por diante…


Dia: 13/02/2015 – Sexta-feira


Tema: O diálogo sempre é o melhor começo.

Sempre escutamos ditados onde se fala a importância de conversar, de que um bom bate-papo ajuda muito. Se pararmos para analisar, dentro do casamento não é diferente. Uma boa conversa, ter um bom diálogo sobre todas as coisas, é um excelente conselho, como a própria bíblia diz em Provérbios 15:1  “uma resposta, quando branda, faz recuar o furor, mas a palavra que causa dor faz subir a ira”.

Mas como estamos falando de finanças no casamento, o primeiro passo é: conversar sobre dinheiro, esse assunto deve ser e deve ter prioridade dentro do casamento nas conversas diárias.

Lembre-se a prioridade só se torna prioridade, quando se tem tempo para ela, caso contrário não é prioridade.

Separe tempo para conversar sobre as finanças da família, despesas, compras, poupança,  planejamento, etc.

E dentro dessa ideia podemos observar que os filhos, os nossos filhos, veem os pais como ESPELHO, ou seja, sua atitude pode ser um grande fator no futuro do seu filho, pais que economizam, conversam, que tenham dialogo… tudo isso influenciará seja direta ou indiretamente seus filhos.

Nossos pais sempre nos diziam que o amor não paga nossas contas, mas pode nos ajudar a resolver nossos problemas financeiros se formos parceiros, cúmplices e termos fidelidade financeira, pois só assim, aumentaremos nosso patrimônio, e passaremos pelos perrengues da vida, comum a todas as pessoas, conforme a Bíblia já salienta, em Eclesiastes 9:11: “ imprevistos sobrevêm a todos”.

Isso alicerça ainda mais o que vários pesquisadores comentam acerca das finanças, onde a mesma engloba uma das principais razões de discussões e divórcios na família.

Portanto, um entendimento errôneo acerca das finanças da família pode culminar em danos sérios no relacionamento.

#Ficaadica: Um bom alinhamento, uma boa conversa sobre dinheiro é uma ótima pedida!


Dia: 09/02/2015 – Segunda-feira


Bom dia!!

Quero começar a segunda-feira com muitas novidades, e uma delas é a nova página do blog: Aliança&Finanças

Toda semana estarei publicando junto com meu colega Antonio Ramos*, artigos, dicas, tudo relacionado a finanças!

Como economizar? quando comprar? Meu marido economiza, eu preciso também?

Espero que gostem!

Tudo com muito carinho  para vocês!

Quem tiver sugestão, pode enviar! Estaremos recebendo de braços abertos!

Um grande abraço!

Segue abaixo o primeiro texto:

unnamed

Alianças e Finanças

Dois em um

As finanças em geral, particularmente o dinheiro vivo, não é o principal alicerce de um casamento, está longe disso, por isso muitas vezes é considerado um detalhe sem muita importância.

Mas não sendo a essência do casamento, não quer dizer que não tenha importância, se o mesmo não é a razão para iniciar um belo romance, por outra mão pode ser a causa de brigas, intrigas que consequentemente culminam em um desastroso divórcio.

O casamento é a união de dois em um, não é que os dois se tornem um, mas que levem a vida como se fosse um. Não andando cada um para um lado, ou um na frente e outro atrás, simplesmente do lado, juntos e misturados. Isso é simples, porém não é fácil, pois dentro dessa união é necessário ser cúmplice e ter fidelidade, e isso só se torna real quando há verdade e troca de palavras, onde se torna necessário lidar com esse assunto de finanças.

De acordo com relatório do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), conflitos financeiros no matrimônio estão em 16,7%. E esse número aumenta para 22,7 para os casais com contas atrasadas.

Sendo assim, nessa página iremos comentar e conversar sobre as finanças no casamento. Mostrar como simples coisas, irrelevantes para alguns, auxiliam e muito no casamento. Daremos dicas, exemplos pessoais, com problemas reais, e contamos com vocês para compartilhar histórias e exemplos, pontos de vistas e contribuições.

Antonio Ramos, Administrador, especialista em MBA Gestão Financeira e Orçamentária e bilíngue (Inglês).

Maira Portugal, Advogada, especialista em Direito Ambiental com ênfase em Regularização e Licenciamento, e  em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho.

Nosso objetivo é compartilhar e ajudar… Contamos com vocês…

#Aliança&Finanças

Anúncios

4 comentários sobre “#Aliança&Finanças

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s